Sábado, 14 de Junho de 2008

Encontrando Deus na calçada da vida - Jacqueline Collodo Gomes

Todos os dias uma senhora fazia o mesmo caminho ao voltar para casa do trabalho, sempre reclamando por ter que passar por uma calçada coberta de terra e pedregulhos. Resmungava ao longo do trecho enquanto tentava se equilibrar em cima das lascas de pedras, e por diversas

 

vezes acabava virando os pés e quase caindo no chão, o que a fazia se irritar mais ainda.
Uma menininha passou a observar de longe aquela cena um tanto engraçada. A senhora nunca ria, nunca sorria! Será que nada poderia fazê-la feliz? "Ela reclama das pedrinhas. Se eu tirá-las, acho que ela ficará feliz”, a menininha pensou consigo mesma.
E no dia seguinte, lá foi ela remover todos os pedregulhos da calçada.

 

Os que passavam e a viam recolhendo as pedras ficavam sem entender nada, achavam a cena curiosa, pensavam ser alguma travessura de criança. Mas a menininha estava determinada a não parar até que tivesse recolhido todas as pedrinhas.
Algum tempo depois, já exausta, ela se levantou, passou a mão pela testa e correu para se esconder. Queria ver a reação daquela senhora quando visse a calçada de terra lisa e clara. Não podia esperar para vê-la sorrir pela primeira vez!
De repente a senhora passou, mas estava distraída reclamando de seus problemas e de sua vida, e só notou a calçada lisa no meio do caminho. Olhou pra trás, olhou pra frente, olhou pra baixo. Fazia feição de quem não tinha entendido nada, e então falou: - "Tiraram as pedras, mas deixaram esta terra imunda! Por que não cimentam esta calçada logo de uma vez? Olhe como estão os meus sapatos, as minhas meias! Todos cobertos de poeira! Pelo menos as pedras não colocavam meu sapato e minha roupa em contato com toda essa sujeira!", e seguiu mais carrancuda do que antes.
Ouvi-se um suspiro de criança ali pertinho. A menininha estava triste, mas não havia desistido. No dia seguinte, bem cedinho, ela ia repor as pedras na calçada. "As pedras de volta farão àquela senhora ficar feliz e sorrir. Eu tenho certeza!", pensou consigo mesma.
Logo pela manhã estava a menininha distribuindo os pedregulhos na calçada e os arrumando com seus pezinhos. Quem passava por ela sorria; aos seus olhos era alguma travessura de criança. Mas a menininha queria mesmo que aquela senhora fosse feliz.
Quando acabou, ela correu pra se esconder. E lá vinha a senhora se aproximando quando notou as pedras de volta à calçada. Pôs as mãos na cintura e soltou logo uma exclamação bem feia. A menininha deu um pulo de susto.
- Outra vez essas pedras! Ainda que só com a areia não danificava tanto o solado dos meus sapatos. Isso sem contar a dor nas minhas pernas!
A menininha se sentiu decepcionada e confusa. Não agüentou e saiu de onde estava escondida, parando na frente daquela senhora. A mulher estranhou e ergueu as sobrancelhas, desconfiada.
- Tirei as pedras pra senhora ficar feliz. A senhora quis as pedras de volta e eu as coloquei, pensando que assim a senhora ficaria feliz. Eu queria mesmo fazer alguma coisa pra senhora ficar feliz, mas acho que nem se eu fizer uma careta ou contar uma piada a senhora dá uma risada! Então, eu não posso fazer mais nada... Nem a senhora sabe com o que fica feliz!

Quando escrevi essa historinha, não imaginei que a mensagem poderia ir bem além do que eu realmente tinha planejado ilustrar.
Aquela senhora tinha uma visão restrita a si mesma, por isso não pudera notar o gesto da criança, nem muito menos demonstrar gratidão ou sentir o carinho com que a menininha planejara lhe fazer aquele agrado. Muitas vezes agimos assim, nos fechando em nosso próprio mundo, e não reparamos nas pessoas ao nosso redor, nem nos seus esforços para nos alegrar ou não nos deixar faltar o que precisamos. Não percebemos que a vida continua, que as outras pessoas também tem seus próprios problemas e nem por isso deixam de fazer alguma gentileza para alguém ou demonstrar respeito e consideração em alguma situação.
Quantas vezes nos são postas novas oportunidades, e as ignoramos, talvez movidos por orgulho, pretensão, medo, ou por estarmos envolvidos numa carga de estresse e preocupação. Para aquela senhora era a oportunidade de ter a amizade da menininha, de aprender a ser mais otimista, de aprender a criar a sua felicidade em meio às dificuldades! Uma oportunidade de transformação de vida!
Quantas vezes retribuímos gentileza com indiferença? Aquela senhora poderia ter questionado, pensado mais um pouco em quem teria se incomodado em retirar aquelas pedras e por que o teria feito. Havia uma menininha que a achava especial e a queria muito bem! Mas a senhora não gostava de si mesma, já que achava e dizia que ninguém mais gostava. Como ela pôde se dar ao direito de responder pelos outros, pelos sentimentos dos outros? Quantas boas amizades já deixamos de lado porque desprezamos o carinho desinteressado que nos é oferecido, julgando que os outros não nos dão valor sincero quando somos nós que não nos damos o devido valor!
Quantas vezes Deus tira as pedras de nossos caminhos e nós voltamos a colocá-las, por falta de sabedoria e falta de amor próprio!
A menininha estava decepcionada porque a senhora não quis lutar por si mesma e se dar uma oportunidade de sorrir e viver algo diferente em sua vida. Ela não podia mesmo fazer mais nada, pois cabia à senhora repensar seu modo de viver e tomar uma decisão. Mas mesmo quando as pessoas não podem nos ajudar, ou quando nós mesmos não conseguimos nos ajudar, podemos contar com a ajuda de Deus. Ele nos salva de nós mesmos! De nossos traumas, medos, ansiedade, fraquezas, tudo o que nos move a agir de uma maneira que nos prejudica, e nós não conseguimos entender nem nos curar sozinhos. Ele é o grande Doutor, dono da ciência e especialista em fazer o que é impossível aos olhos humanos, e coloca Seus serviços ao nosso dispor em qualquer momento que necessitamos ou clamamos por Ele!

Deus tem o poder de curar suas feridas, de te dar um novo coração, de te ajudar a superar o que te prejudicou. Creia nisso!
Não se preocupe com resultados instantâneos, não tenha pressa! Deixe Deus te curar completamente e só desfrute o tempo do "tratamento". E se alguma vez você errar em algo, não desanime. Perdoe-se e libere-se para seguir em frente. Tente de novo, tente!
Deixe Deus te fazer feliz! Olhe para o que Ele tem feito por você; Ele ainda fará muito mais! Agradeça-O!
Abra a portinha do seu mundinho particular e saia para ver quantas coisas boas te esperam!
Respire fundo e viva, com responsabilidade!

 

 



publicado por zema_producao às 04:22 | link do post | comentar | favorito

Rádio Alfa
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


posts recentes

dois pesos e duas medidas...

Medicina natural ajuda a ...

Reportagem da RTP de há u...

Você Vai Prevalecer

A alegria no Senhor é a n...

A PORTA

Movendo o sofá

***A Carta Do Inimigo***

A Última Trombreta

Pensamento

tags

alegria no senhor é a nossa força

arrebatamento

bata

blusas

cores

costa

deus

fim dos tempos

fotos

frases

frente

linhas

loja

medicina natural ajuda a combater dores

modelos

palavra

palavras

pensamento

porta

reportagem da rtp de há um ano mostra fa

satanás

sofá

trombreta

tv

ultima

vestidos

video

você vai prevalecer

todas as tags

arquivos

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Junho 2008

Maio 2008

mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds